Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra


Sexta-feira, 18.03.16

Coimbra e as suas personalidades: Inês da Fonseca, tecedeira

Vitália Cunha de Assunção e Mabília Sequeira são as tecedeiras que, nessa ocasião (25.10 a 05.11.1978, a 5 de Novembro, mostra da Tecelagem da Região da Almalaguês, realizada no Edifício Chiado) ... acompanham Inês Carvalho Ferreira da Fonseca a Coimbra e com ela animam essa mostra, tecendo perante um público surpreendido e entusiasta. Para nenhuma terá sido fácil chegar até ali. Para Inês Fonseca foi com certeza muito difícil.

Nasce (Inês da Fonseca) em 1937 em Almalaguês, sede da maior freguesia do concelho de Coimbra. A mais velha de seis irmãos, Inês aprende a tecer como todas as da sua idade aprenderam, com a sua Mãe, logo muito novinha "assim que comecei a chegar com os pés aos pedais" e desde criança foi envolvida em todo o conjunto de operações que está associado ao trabalho do tear.
...Ir e vir a Coimbra, mesmo que a pé, uma vez por mês, ou ainda mais espaçadamente, era, pois, considerado razoável e normal, e daí que as tecedeiras fizessem essa viagem, com regularidade. De manhã traziam nas suas cestas, açafates ou canastras as mantas, passadeiras, tapetes ou toalhas que as suas freguesas lhes tinham encomendado; à tarde regressavam carregadas com os novelos de trapo que outras lhes tinham dado para serem aproveitados na manufatura de novas encomendas
... E a tecedeira aparecia, pontualmente, com as encomendas, entregando umas, recebendo outras, descarregando as obras feitas, carregando novelos de "trapo". Quando chegava o tempo de um casamento encomendava-se então outro tipo de trabalhos, de "linha fina", a "ponto miúdo" ou "ponto graúdo" de linho ou, mais vulgarmente, de algodão. As Colchas de Almalaguês sempre tiveram fama devido à finura dos desenhos que as suas tecedeiras "bordam" ao tear.
... Assim que se tornou conhecida, "foi quando comecei com o Turismo", aproveitando as oportunidades dinamizadas pelos Serviços de Turismo da Câmara ganhou a sua autonomia e "as freguesas aprenderam depressa onde é que eu vivia" ... anteriormente, ainda antes de 1974, tinha havido lugar para inovações consideráveis de que se salienta as cópias, ou melhor, a utilização, ao tear, de adaptações dos motivos característicos dos Tapetes de Arraiolos! Vestígios dessa experiência ainda hoje se encontram na panóplia de desenhos que as tecedeiras de Almalaguês utilizam. Felizmente que muitos dos desenhos antigos continuam a ter a preferência de uma clientela mais exigente. As bonitas cercaduras "dos cravos e das rosas" a que também chamam "dos arcos, está a vê-los aqui?", "do louro" com as "folhas e as flores", "dos fetos" juntamente com "o silvado de roseira", a "espiga de trigo" com a "rosa no meio" bem como as cercaduras das "parras" com o "cacho de uva, mas esta é diferente, é a parra americana" são alguns desses desenhos mais tradicionais, utilizados desde sempre nas colchas ou nos reposteiros, cuja produção só se iniciou nos finais dos anos 70. Outras cercaduras, mais estreitas, menos exuberantes, que geralmente limitam o desenho do campo são a "grega das bichas" ou a das "cravetas". Alguns motivos podem ser usados isoladamente ou, por repetição, dão origem a barras e, os mais característicos serão o "vaso de castelo" e a "fechadura". "Estrelas", "girassóis" e o "cipreste, com quatro partes que saem de uma casela" fazem parte do vocabulário tradicional que a tecedeira manipula de acordo com o combinado no ato da encomenda, onde ela mesma também refere quais os desenhos que se podem utilizar "a ponto graúdo" ou "a ponto miúdo".
Motivos de "ponto de cruz" passaram, há muito, para o vocabulário das tecedeiras, o mesmo acontecendo relativamente aos desenhos das populares rendas de "crochet". Inês faz tudo o que lhe encomendam ... os trabalhos de "linha fina" em que é exímia, a tornam uma das grandes tecedeiras de Almalaguês. "nós todas somos boas tecedeiras aqui em Almalaguês" diz convicta, "mas é mais os acabamentos"...E mostra com um prazer genuíno os "panos de amostra", onde teceu motivos variados, desde os antigos, com direito a nome próprio, aos das revistas.
A energia e a frontalidade que a caracterizam levam-na por caminhos nunca trilhados e é corajosamente pioneira quando se inscreve nas Finanças. "Iam-me tirando a pele" atira, ainda magoada com a incompreensão, frase que define uma mulher sem medo, que quer fazer as coisas de forma limpa e clara, que quer edificar o seu negócio numa base sólida para melhor o poder desenvolver. E ela arrisca-se, lança-se para o exterior, ganhando notoriedade a despeito das resistências e condicionalismos impostos por um marido renitente, em que o álcool sublinhava uma funda depressão e um meio, apesar de tudo, muito fechado. Ultrapassando-se a si própria e às suas limitações, Inês ultrapassou todas as dificuldades que lhe eram exteriores.
Na força com que batia a "queicha", no ritmo que dava aos "pedais", na velocidade que imprimia à "lançadeira", Inês descarregou muita da raiva e da revolta de uma vida que nunca foi fácil. Por vezes punha-se a tecer logo às seis da manhã. "Credo - dizia-lhe um vizinho - quando te pões ao tear até a minha cama estremece!". Só ao tear se sente bem, por isso, o reumatismo, que lhe consome as articulações e a inibe de tecer como gostaria, lhe dói a dobrar. Ao tear ganhou a sua vida com um esforço, uma determinação e uma coragem que ninguém lhe nega, merecendo todo o reconhecimento de quem só a si mesma deve o sucesso do seu percurso de tecedeira justamente renomada.
Por detrás desta grande tecedeira está, de facto, uma grande Mulher.
A Inês.
(Entrevista realizada, em Almalaguês, a 30 de Abril de 2002)

Inês Fonseca faleceu em finais de 2011. Em 2013, a título póstumo, a Junta de Freguesia de Almalaguês atribui-lhe o Certificado de Mérito Industrial.

Pires, A. Tocar a vida, aos pedais do tear. (História de uma tecedeira). In Mestres Artífices do Século. 2002. Lisboa, Instituto de Emprego e Formação Profissional.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 09:21


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Outubro 2019

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031