Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra


Quinta-feira, 03.05.18

Coimbra: Queima das Fitas de 1931

Começa hoje à meia-noite mais uma Queima da Fitas, esta envolta em alguma polémica. Para melhor compreender esta tradição académica apresentam-se algumas notas sobre a sua génese, assentes na recordação da Queima de 1931.

 

A Tradição Académica encontra-se associada a diversas celebrações que pontuam o calendário estudantil. Em Coimbra, as primeiras manifestações deste tipo remontam aos festejos do centenário da sebenta, aos que marcavam o início e o fim das aulas, aos do enterro do grau, etc.

Contudo, ao longo dos tempos foram ganhando raízes toda uma série de iniciativas relacionadas com o desenrolar do calendário académico e que, obviamente passaram a integrar a Tradição. Refira-se sem qualquer preocupação exaustiva, a queima das “Fitas” dos Quartanistas surgida por volta de 1896; a prática da Pastada na década de 1920; a introdução da Garraiada em 1929/30; a missa de Bênção das Pastas, em 1930; a invenção das Cartolas e Bengalas por 1931; a introdução da Venda da Pasta pelos finalistas de Medicina da UC, em 1932; o Baile de Gala das Faculdades, em 1933; a Imposição de Insígnias dos Quartanistas Grelados em 1946; a inclusão da Monumental Serenata no programa da Queima das Fitas, em 1949; as latadas de abertura do ano escolar inventadas nos inícios da década de 1950; a adoção do ritual da compra/roubo do grelo às vendedeiras do Mercado Municipal, costume adotado a partir da Revolta do Grelo acontecida em 1903.

Mas, no século passado, a festa de maior impacto realizada em Coimbra e que assinalava, grosso modo, o final do ano letivo era a “Queima das Fitas”.

Em 1931 integrava o cortejo um carro de bois que transportava alguns caloiros, dois deles identificados pela pessoa que nos facultou a fotografia.

Queima das Fitas. 1931 ou 32.tif

 Data desse mesmo ano de 1931 o cartaz da Queima das Fitas que, deteriorado pelo passar dos anos, não permite uma leitura integral.

No entanto, face ao interesse do documento, apresentamos a transcrição possível e pedimos que nos auxiliem na sua leitura integral. Permitimo-nos chamar a atenção não só para estilo da escrita, como para o aliciante programa nele anunciado.

Queima das Fitas 1931.jpg

 Coimbra da tradição e da lenda

QUEIMA DAS FITAS

As mais bizarras festas académicas que se realizam na Europa

De 24 a 27 de maio de 1931

 

Domingo, 24

Imponente garraiada, no Colizeu de Coimbra, em homenagem aos Quartanistas de todas as Faculdades «Diestros» dos mais afamados de Coimbra.

À NOITE Maravilhoso festival no Parque da Cidade

 

Segunda Feira, 25

À TARDE Grandioso desafio de foot-ball no campo de Santa Cruz entre… de Lisboa

À NOITE Na Associação Académica conferência sobre … académicos do passado

 

Terça Feira, 26

À TARDE Entram os caloiros em Coimbra. Grande … caloiral no Largo da Feira e entrega das insígnias e mais atributos

À NOITE Imponente Sarau no Teatro Avenida promovido pelo nosso Orfeon

 

Quarta Feira, 27

A Queima das Fitas

Grandioso cortejo burlesco que sairá da Universidade pelas 14 horas. Queima dos Grêlos no Largo da Feira, desfile do imponente cortejo pelas ruas da Cidade.

Carros….

À NOITE … no Parque da Cidade. Maravilhoso fogo de artificio dos … de Viana do Castelo

….

 

Uma breve nota informativa para dizer que o Colizeu de Coimbra referido no cartaz era a praça de touros, inaugurada em 26 de julho de 1925, e destruída por um grande incêndio no dia 4 de abril de 1935. Estava erguida no atual Parque Verde do Mondego, justamente no local da Praça da Canção.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 09:06

Terça-feira, 17.11.15

Coimbra na Revolução Industrial 2

… No sector da moagem, massas alimentícias e bolachas, destacaram-se as fábricas Miranda, Ld.ª e Triunfo … A primeira (de massas alimentícias e bolachas) foi fundada em 1887, por José Victorino Botelho de Miranda, tendo sido inicialmente também instalada no … Convento de São Francisco, em Santa Clara. Em 1900, foi transferida para a Avenida do Porto da Pedra (para o belo edifício, felizmente recuperado, que se encontra junto à Ponte Açude).
A Sociedade de Mercearias, Ld.ª, criada em 1913, viria posteriormente a dar origem à Fábrica Triunfo, cujo progresso foi evidente, no final do primeiro conflito mundial … A posterior deslocação das instalações, da Rua dos Oleiros para a Pedrulha, possibilitou a sua expansão, até ao seu recente fecho.
No que concerne a bebidas, saliente-se a sociedade por quotas Cervejas de Coimbra, Ld.ª, criada em 1920, posteriormente designada Companhia de Cervejas de Coimbra, Ld.ª (1924), que instalou a sua fábrica e cervejaria junto ao Parque Dr. Manuel Braga e produzia a conhecida cerveja Topázio … viria a ter uma vida útil de apenas cerca de três décadas, até à sua transferência para as novas instalações, na zona industrial da Pedrulha, onde também não teria vida longa.
… Deve ainda ser recordada a Fábrica dos Curtumes, instalada na Rua Figueira da Foz, em plena I Guerra Mundial, isto é, em 1915. Esta era propriedade da firma “Raposo, Amado & Godinho.
… No sector dos serviços, mais propriamente nas artes gráficas, também Coimbra tem uma longa tradição, que passa pela Imprensa da Universidade (criada pelo Marquês de Pombal, em 1772, encerrada em 1934 e refundada há pouco…)
… No período em foco … devemos assinalar …:
a) Gráfica Conimbricense Ld.ª (30-7-1920);
b) Coimbra Editora, Ld.ª (7-8-1920).

Mendes, J. A. 2010. Coimbra Rumo à Industrialização. 1888-1926. In Caminhos e Identidades da Modernidade. 1910. O Edifício Chiado em Coimbra. Actas. Coimbra, Câmara Municipal de Coimbra, pg. 143 e 144

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 12:38


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Posts mais comentados