Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra


Terça-feira, 06.04.21

Coimbra: Evolução do Brasão do Concelho 4

Ainda como elementos interessantes para as armas de Coimbra, venho dizer que a pág. 74 da II parte da Crônica da Ordem dos Cónegos Regrantes do Patriarca S. Agostinho, de D. Nicolau de S. Maria, Lisboa, 1668, vem a descrição de uma procissão que da Sé de Coimbra seguia com relíquias de santos para o Mosteiro de Santa Cruz da mesma cidade, em 29 de outubro de 1595, onde existe um período, a pág. 78, que interessa às armas de Coimbra, que é o seguinte:

 «Neste dia estauão já aparelhadas diuersas estancias pellas ruas por onde hauia de passar a procissão das Santas Reliquias, & as ruas todas armadas, & juncadas de flores, &. eruas cheirosas, mas por nâo sermos compridos nesta relação, faremos só menção da primeira estancla, que pera receber tam precioso thezouro se offerecia no principio da rua junto á Sé. Estaua esta estancia ornada com dous arcos vestidos de varias sedas, semeadas com varios frutos de cera muito ao natural, no meio dos arcos estaua hua fermosa Dama posta no theatro de joelhos entre Serpe & Leão, com as mãos ao Ceo leuantadas, que representaua a nobre, &. sempre leal Cidade de Coimbra, em cujas mãos fazia Deos a entrega real de tam grande thesouro de Relíquias & estaua de joelhos, & com as mãos leuantadas, como dando as graças ao mesmo Deos, & Senhor, por tam alta mercê, & beneficio.»

 Nota – No intervalo que vai de 18 de maio de 1932, em que escrevi estes elementos foram apresentados, até agora, mais uma conjetura se me formou no espirito sobre a entrada do leão e do dragão nas armas de Coimbra.

Como foi em Coimbra que teve base uma nova orientação da política portuguesa, no momento em que naquela histórica cidade foi aclamado D. João I, não daria este facto notável da História de Portugal motivo a colocar nas respetivas armas, como que amparando e, portanto, protegendo a figura simbólica da cidade, os timbres das armas de D. João I (o dragão) e da Rainha D. Filipa de Lencastre (o leão)?

MNAA. D. João I. Autor anónimo.jpg

MNAA. D. João I. Autor anónimo. Acedido em https://pt.wikipedia.org/wiki/Cortes_de_Coimbra_de_1385

D. .João I, eleito rei de Portugal nas segundas C

D. João I, eleito rei de Portugal nas segundas Cortes de Coimbra. Acedido em https://www.infopedia.pt/$cortes-de-coimbra

Brasão de D. Filipa d Lancastre.jpg

Brasão de D. Filipa de LancastreAcedido em 5729471997_09d94099a3.jpg (375×500) (flickr.com)

Brasão de Armas e Bandeira Quadrada de D. João I

Brasão de Armas e Bandeira Quadrada de D. João I. Acedido em https://www.pinterest.pt/pin/524950900291616754/

Este meu novo pensamento sobre o assunto nasceu de muito ter lido e estudado a história de Coimbra com o desejo de encontrar uma razão satisfatória para a existência de um leão na composição das mesmas armas.

O dragão, enfim, poderia ser uma interpretação da cobra das antigas armas. É mais uma suposição que pode ser aceite, pelo menos, pelas pessoas que conhecem a organização e ordenação da heráldica.

Dornelas, A. Os Selos da Cidade de Coimbra. In: O Instituto, Vol. 88.º. 1935. Pg. 5-16. Acedido em https://digitalis-dsp.uc.pt

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 19:25


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2021

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930