Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra


Quinta-feira, 25.01.24

Coimbra: Extinção da Roda dos Expostos

Não tendo conseguido encontrar imagens da roda de Coimbra, apresentamos imagens de duas das que existiram no País.

Atualizamos a ortografia para facilitar a leitura dos textos.

Às 7h da manhã do dia 2 de julho de 1872 a Roda dos Expostos de Coimbra fechou para sempre.

Roda dos expostos. Sortelha.jpg

Roda dos expostos de Sortelha. Imagem acedida em: https://capeiaarraiana.pt/2019/01/19/expostos-no-antigo-concelho-de-sortelha/

Roda dos expostos Santa Maria.jpg

Roda dos expostos (Recolhimento de Santa Maria Madalena, Ilha de Santa Maria (Açores), Portugal). Imagem acedida em https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/87/Roda_expostos_1.jpg

A abertura do Hospício dos Abandonados, que a substituía, vinha finalmente concretizar a proposta de extinção da Roda apresentada à junta geral do distrito a 25 de abril de 1870 pelo Doutor Manuel Emídio Garcia (1838-1904) e que então se receara pôr em prática.

Não sei quem assistiu ao ato do encerramento da Roda, mas estou em crer que o Doutor João António de Sousa Dória (1814-1877), primeiro diretor do Hospício', terá feito ponto de honra em ser ele próprio a encerrá-la.

…. Ninguém em Coimbra tinha memória de não haver Roda dos Enjeitados, que funcionava na cidade pelo menos desde 1700, há 172 anos.

…. Em meados do século XIX crescia a contestação ao abandono livre e em 1867, pelo decreto de 21 de novembro, o ministro Martens Ferrão ousara abolir as rodas em todo o país. Agia antes do tempo, pois escassos quatro meses depois a medida foi revogada pelo decreto de 20 de março de 1868. Mas à falta de lei geral, algumas juntas de distrito, por sua iniciativa, acabaram por aplicar nos seus espaços o que se projetara para o país, abrindo-se hospícios distritais

…. Contrariamente ao que a palavra indicia, o Hospício dos Abandonados de Coimbra nunca foi um hospício na verdadeira aceção da palavra, um internato, porque as crianças só aí permaneciam temporariamente até serem distribuídas por amas externas, tal como sempre se praticara na Roda. Assim sendo, as crianças do Hospício viviam por todo o distrito, e até fora dele, em casa das amas. O que distinguia a antiga Roda da nova instituição era, portanto, fundamentalmente, o processo de admissão.

…. O Hospício manteve-se nas antigas instalações da Roda, um edifício que, como se disse, fora enfermaria e hospedaria do extinto mosteiro de Santa Cruz e é atualmente a Escola Secundária Jaime Cortesão.

Roda, pg. 176.jpg

Edifício onde funcionou o Hospício dos Abandonados, fotografado a 3 de janeiro de 1935 quando foi demolida a Torre de Santa Cruz que lhe estava adjacente. Op. cit., pg. 176

…. Segundo o Regulamento do Hospício de Coimbra (1872), só eram admitidas "as crianças encontradas em abandono, em qualquer lugar publico ou particular, sem que se lhes saiba a procedência parental" …. Além destas crianças, que eram as expostas, a nova instituição também recebia "...todos os dias, das 9 horas da manhã até ás 4 da tarde, e ali se conservarão provisoriamente, até que, por despacho da autoridade competente, sejam definitivamente admitidas, as crianças menores de sete anos, que estiverem nos seguintes casos:

1.° Se seus pais houverem desaparecido e as tiverem abandonado.

2.° Se forem filhos de pessoas miseráveis que estejam presas, condenadas a prisão ou degredo, ou sofram moléstia grave; não tendo em qualquer destes casos recursos para se sustentarem e a seus filhos, nem parentes com obrigação de os alimentar e recursos para isso, nos termos do art.º 294 do Código Civil".

3.° Se forem órfãos desamparados.

…. O Hospício acolhia também os chamados repostos, crianças devolvidas pelas amas, o que podia ser apenas para se curarem. Não esqueçamos que o Hospício era dirigido por um médico. Houve ainda alguns expostos que por serem deficientes físicos ou mentais, aí permaneceram durante anos, embora o regulamento o não previsse. Foram sempre muito poucos, abaixo da dezena.

…. O que distinguia o Hospício da Roda — a não liberdade de abandono que passara a comportamento ilegal e criminalizado — teve como consequência imediata a redução espetacular do número de expostos. Reproduzo o gráfico porque é eloquente.

Roda, pg. 179.jpg

Op. cit., pg. 19

Como se visava acima de tudo diminuir o número de crianças a cargo das finanças públicas, a opção pelo Hospício foi de facto, em Coimbra, um êxito rotundo.

Lopes, M.A. Assistência pública à infância após a extinção da Roda dos Expostos: Hospício dos Abandonados e crianças maiores de sete anos (distrito de Coimbra, 1872-1890). In: Da caridade à solidariedade: Políticas públicas e práticas particulares no Mundo Ibérico, pg. 173 a 192. 2020. Braga. Universidade do Minho. Laboratório de Paisagens, Património e Território - Lab2PT.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 19:24


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Julho 2024

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Posts mais comentados