Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra


Quinta-feira, 23.02.17

Coimbra: Hospital de S. Lázaro

Atribui-se a criação do hospital de S. Lázaro, ou «gafaria de Coimbra», à munificência de D. Sancho I, que o dotou convenientemente em seu testamento do mês de Outubro de 1209. Parece ter sido esta herança o fundo primitivo, com que se abriu a primeira gafaria em Coimbra, de que o hospital de s. Lázaro representa hoje a continuação, depois de ter passado por muitas fases administrativas e por diferentes mudanças de local. Se antes da instituição de D. Sancho I já existia na cidade algum pequeno estabelecimento desta ordem, que aquele testamento viesse aumentar em rendas, não o pode afirmar.

... Nos arquivos do hospital ... alguns documentos originais de graças e mercês, concedidas a esta instituição por diferentes monarcas, citando com especialidade o «regimento do hospital dos lázaros» de 1329 por D. Afonso IV; outro regimento, sem data, por D. Afonso V; e ambos adicionados em Coimbra por D. Manuel em 1502, constituindo um novo regulamento com esta ultima data.

Hospital dos Lázaros Fora de Portas.TIFRuinas do Hospital dos Lázaros, hoje demolidas

Hospital dos Lázaros portal.TIF

... Em 1774 foi incorporado na fazenda da universidade a administração do hospital de S. Lázaro, «em cumprimento do decreto d’el-rei D. José de 15 de Abril de 1774 e da provisão do marquez de Pombal de 19 do mesmo mez e anno, como consequencia da reforma da universidade de 1772; ficando sujeita aos mesmos regulamentos da administração do hospital Geral, ou hospital de Conceição.

Mais tarde seguiu a sorte d’este ultimo hospital, na mudança da administração dos seus bens para o governo civil, em repartição especial por effeito da portaria do ministério do reino de 22 de setembro de 1851; e ultimamente, na constituição d’uma administração immediatamente subordinada ao referido ministério, por decreto de 22 de junho de 1870.

Consistiam os rendimentos d’este hospital em rendas e fóros de propriedades rusticas e urbanas, rações e laudémios de prasos e casaes, nos logares de Condeixa, Falla, Trouxemil, Zouparria, Enxofães, Alfóra, etc. D’esses direitos foram abolidos os provenientes de doações regias, por decreto de 13 de agosto de 1832; de que resultou grande cerceamento nos recursos d’este hospital».

... De Fora de Portas foi transferido o estabelecimento para o colégio de S. José dos Marianos, em 5 de Dezembro de 1836 ... Deste último edifício foram mudados os lázaros para o colégio de S. Jerónimo, por decreto de 21 de Junho de 1851 ...

Hospital dos Lázaros antigo.TIF

De S. Jerónimo foram transferidos os lázaros para o colégio dos Militares ... em 10 de Novembro de 1853.

Simões, A.A.C. 1882. Dos Hospitaes da Universidade de Coimbra. Coimbra. Imprensa da Universidade, pg. 7, 10-11, 56.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 09:50

Quarta-feira, 17.06.15

Coimbra, comunidade judaica 1

No século XII, os Judeus de Coimbra viviam num bairro fora das muralhas, na encosta que tem hoje, como arruamento principal, a Rua do Corpo de Deus … O bairro tinha cemitério próprio, o seu almocávar … E tinha sinagoga no local (ou perto do local) onde, na década de 1360, se ergueu a ermida do Corpo de Deus
… Fora de Coimbra, mas no aro da cidade, também havia Judeus. Em 950 o Conde Ximeno Duas e sua mulher, Adosinda Guterres, doaram ao Mosteiro de Celanova (Galiza), prédios que haviam comprado a Judeus em Quites (Taveiro)

… Um documento de 968 refere-se ao Outeiro de illa Senoga, que parece corresponder a Cioga do Monte (Souselas)
… Antes de 1080, D. Sesnando autorizou o estabelecimento, em S. Martinho do Bispo, de colonos vindos do sul … mas com eles poderão ter vindo alguns Judeus, porque parece ter sido erguida, a par com a Igreja, uma sinagoga. Aliás, no livro antigo de matrizes prediais de S. Martinho do Bispo existe o microtopónimo Sioga ou Cioga. Os microtopónimos Cioga e Vale dos Judeus encontram-se também na freguesia de Santa Clara
… Em 1099, a aldeia de Enxofães (hoje freguesia de Murtede, concelho de Cantanhede) “é dita villa que est de illos Hebreus”
… Quanto à comunidade judaica urbana, é certamente muito anterior à data da sua primeira atestação documental, em 1139.

J. Alarcão. As Judiarias de Coimbra. In Coimbra Judaica. Actas. 2009. Coimbra, Câmara Municipal de Coimbra, pg. 21 e 22

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 09:40


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Setembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930