Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra


Terça-feira, 21.03.23

Coimbra: Retábulos da Igreja do Mosteiro de Santa Clara, 7

 Painel do Batismo

Painel do Baptismo. Op. cit., pg. 112.jpg

Painel do retábulo colateral do lado do evangelho da igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit., pg. 112

O painel do retábulo colateral do lado do evangelho é, assim, composto por cinco figuras masculinas. Ao centro, o Baptista do lado direito, de barba e cabelos longos, veste capa e túnica feita de peles esfarrapadas e eleva uma concha sobre Cristo desnudado e ajoelhado a seus pés que se encontra no centro de toda a composição, ligeiramente inclinado dentro de água e com as mãos cruzadas sobre o peito. A acompanhar estes, dois anjos assistem à cena no lado esquerdo do painel segurando as roupagens de Cristo. A rematar a ação, a quinta figura representa Deus Pai que presencia o acontecimento envolto de nuvens com dois anjos e dois querubins a acompanhá-lo. Por baixo deste e ainda entre as nuvens, o Espírito Santo, virado para as personagens em baixo, lança raios de luz em direção à cena central. Como fundo, o painel retrata uma paisagem citadina, ladeada de árvores e, em baixo, encontra-se representado o rio Jordão, correndo entre rochas sobre as quais foi esculpido um lagarto no lado esquerdo, enquanto no lado direito se prolongaram as raízes das árvores. Ao centro, entre as duas figuras principais, representaram-se dois lírios brancos, símbolos de dupla pureza (a de Cristo e a de João Baptista). Sobre o rio e em miniatura, encontramos uma pequena embarcação com um pescador (possível alusão a S. Pedro) acompanhada de quatro peixes que sobem ao topo da água.

Painel do Baptismo, pormenor. Op. cit., pg. 112..j

Painel do retábulo colateral do lado do evangelho da igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor. Op. cit., pg. 112

A cena do painel retabular representa a passagem bíblica do Batismo de Cristo, relatada nas escrituras sagradas, no momento em que João batiza Jesus no rio Jordão, descendo sobre eles o Espírito Santo (em forma de pomba branca) ao rasgarem-se os céus para a aclamação do Filho de Deus. Tal como relata, a título de exemplo, São Mateus: “Então, veio Jesus da Galileia ao Jordão ter com João, para ser batizado por ele. João opunha-se, dizendo: «Eu é que tenho necessidade de ser batizado por ti, e Tu vens a mim?» Jesus, porém, respondeu-lhe: «Deixa por agora. Convém que cumpramos assim toda a justiça.» João, então, concordou. Uma vez batizado, Jesus saiu da água e eis que se rasgaram os céus, e viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e vir sobre Ele. E uma voz vinda do Céu dizia :«Este é o meu Filho muito amado, no qual pus todo o meu agrado.».

 

Painel da Comunhão

Painel da Comunhão. Op. cit., pg. 117.jpg

Painel do Retábulo colateral do lado da epístola da igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit., pg. 117

No painel figura um altar acompanhado de dois anjos, São João Evangelista, Nossa Senhora e duas personagens que a precedem. O retábulo do altar representado no painel é composto por duas pilastras e um arco de volta perfeita que emolduram um crucifixo. Em frente à mesa de altar decorada com duas velas e um cálice eucarístico, as três figuras femininas ajoelham-se perante o Apóstolo que veste alva, estola e manípulo segurando a hóstia nas mãos. Ao fundo de três degraus, dois anjos segurando círios, ajoelham-se perante a cena. Na edícula de remate encontra-se representada uma águia. A cena faz alusão ao momento da comunhão da Virgem dado por São João Evangelista.

Painel da comunhão, pormenor. Op. cit., pg. 117.j

Painel do Retábulo colateral do lado da epístola da igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor. Op. cit., pg. 117

A cena retratada no painel é um tema pouco conhecido e representado. Ele aparece-nos em contexto das Reformas protestantes quando as questões relativas ao sacramento da eucaristia são questionadas. Isto porque a cena da primeira eucaristia, a última ceia, representada desde os primórdios do cristianismo, se caracterizava por fixar o momento em que Cristo anuncia a traição de um dos apóstolos e não o momento em que consagra e distribui o pão e o vinho. Esse tema só irá conhecer a sua primeira representação no século XV, mas os artistas nunca se desprendem da antiga representação. Só a partir da segunda metade do século XVI é que começa a crescer o número de representações relativas ao momento da consagração da eucaristia.

 Carvalho A. R. A.  Os Retábulos da Nova Igreja do Mosteiro de Santa Clara em Coimbra. Dissertação de Mestrado em História da Arte, Património e Turismo Cultural. 2015. Edição da Universidade de Coimbra. Acedida em https://www.academia.edu/23902176/Os_Retabulos_da_Nova_Igreja_do_Mosteiro_de_Santa_Clara_em_Coimbra ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 16:27

Quinta-feira, 16.03.23

Coimbra: Retábulos da Igreja do Mosteiro de Santa Clara, 6

.  Painel da Nossa Senhora da Conceição

Painel de Nossa Senhora da Conceição. Op. cit.,

Painel do primeiro retábulo lateral do lado do evangelho na igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit., pg. 98.

A figura de Nossa Senhora da Conceição, com nimbo de doze estrelas, que se encontra de pé, olhando o horizonte, com as mãos postas em oração, em cima de uma lua equilibrada sobre três cabeças de anjo que assentam sobre uma esfera azul, rodeada de uma serpente, estando esta alinhada sobre um pedestal, como que se de uma estátua de vulto se tratasse. Como fundo, nuvens e raios de luz e glória saem por detrás da Senhora rodeando-a. À sua volta distribuem-se seis anjos que seguram, cada um, diferentes símbolos. No lado direito, o anjo de cima segura um ramo de oliveira, por baixo dele o anjo carrega um espelho e o de baixo trás uma fonte. No lado esquerdo, e de cima para baixo, os atributos que os anjos guardam são uma folha de palmeira, uma torre e uma casa. Na edícula de remate do retábulo encontram-se lírios.

Painel de Nossa Senhora da Conceição, pormeor. O

Painel do primeiro retábulo lateral do lado do evangelho na igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor. Op. cit., pg. 98.

A imagem do painel sugere uma versão correspondente à iconografia da Virgem Imaculada intitulada de «Tota Pulchra», nome derivado do versículo em latim: “(…) toda bela és tu, ó minha amada, e em ti defeito não há (…)” que alude à sua beleza pura e imaculada. Essa tipologia representa a imagem de Nossa Senhora rodeada dos seus atributos e metáforas bíblicas inspiradas no «Cântico dos Cânticos».

 

. Painel de São Pedro

Painel de S. Pedro. Op. cit., pg. 108.jpg

Painel do segundo retábulo lateral do lado do evangelho da igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit., pg. 108

No segundo retábulo lateral do lado do evangelho figura-se Cristo de pé a entregar as chaves a São Pedro que se ajoelha à sua frente, e que confere uma nítida diagonal compositiva, acompanhados de duas figuras que testemunham o ato. Como fundo, foi representada uma igreja e árvores, introduzindo-se uma palmeira no lado direito do painel. 

Na edícula de remate encontra-se representado uma tiara papal.

Painel de S. Pedro. Op. cit., pg. 108.jpg

Painel do segundo retábulo lateral do lado do evangelho da igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor. Op. cit., pg. 108

 A cena do painel deste retábulo retrata o episódio bíblico da entrega das chaves ao apóstolo São Pedro. Essa passagem desenrola-se quando Cristo se reúne com os apóstolos perto de Cesareia de Filipe onde, segundo São Mateus, anuncia: “(…) Tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do Abismo nada poderão contra ela. Dar-te-ei as chaves do Reino do Céu; tudo o que ligares na terra ficará ligado no Céu e tudo o que desligares na terra será desligado no Céu. (…)”.

 Carvalho A. R. A.  Os Retábulos da Nova Igreja do Mosteiro de Santa Clara em Coimbra. Dissertação de Mestrado em História da Arte, Património e Turismo Cultural. 2015. Edição da Universidade de Coimbra. Acedida em https://www.academia.edu/23902176/Os_Retabulos_da_Nova_Igreja_do_Mosteiro_de_Santa_Clara_em_Coimbra ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 20:47

Terça-feira, 14.03.23

Coimbra: Retábulos da Igreja do Mosteiro de Santa Clara, 5

 Painel de São Bartolomeu

Painel de S. Bartolomeu. Op. ct., pg. 88.jpg

Painel do terceiro retábulo lateral do lado do evangelho na igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit., pg. 88

O painel do retábulo alusivo a São Bartolomeu reproduz um portal por onde quatro clarissas recebem São Bartolomeu que se encontra prostrado à porta. Em primeiro plano destaca-se o apóstolo de barba e cabelos curtos que entrega um papel à freira que avança sobre ele. Atras desta, outras três religiosas acompanham e testemunham a entrega representada. O papel que é entregue contém uma inscrição onde se lê: STELLA CÆ/ÆLI EXTI/RPAV[I]T. Na edícula de remate do retábulo figura um coração.

Painel de S. Bartolomeu, pormenor. Op. ct., pg. 88

Painel do terceiro retábulo lateral do lado do evangelho na igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor. Op. cit., pg. 88

A cena do painel alude ao episódio milagroso em torno da figura de São Bartolomeu, que se desenrolou no mosteiro de Santa Clara de Coimbra. Segundo relatou Frei Manoel da Esperança em 1666, quando o surto de peste que se alastrava pela Europa chegou a Coimbra, as clarissas dirigiram as suas orações aos apóstolos no sentido de identificar a qual deveriam recorrer para se livrarem do mal que se adivinhava pela cidade. Acendendo círios com os doze nomes, fora o de São Bartolomeu o último a se apagar, elegendo-o como seu advogado.

… A iconografia representada no painel é exclusiva da casa clarissa de Coimbra sendo apenas figurada no seu contexto particular.

 

Painel de São Pedro de Alcântara

Painel de S. Pedro de Alcântara. Op. cit., pg. 92

Pormenor do painel que se encontra a rematar a entrada principal da igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit., pg. 92

O painel que se encontra a rematar a entrada principal da igreja [representa] Santa Teresa, no canto inferior esquerdo, é interrompida na sua escrita pela aparição de São Pedro de Alcântara que ocupa mais de metade do painel envolto de nuvens e anjos. Ao fundo, a paisagem é representada com um sol encoberto pela metade por montanhas, por uma igreja e por dois franciscanos que caminham lado a lado estando a figura aureolada do lado esquerdo apontando para o céu e segurando uma vara na mão esquerda. A santa carmelita, envolta de uma estrutura arquitetural em formato de L, traja o hábito da sua ordem, estando ajoelhada junto a uma mesa de toalha vermelha com um livro aberto, uma pena e um tinteiro, representada com auréola de santo e abrindo os braços em gesto de surpresa. De igual modo se encontra o santo franciscano, que abre os seus braços olhando para Santa Teresa por baixo de si.

Circundando-o, os agitados anjos e cabeças de anjo aladas celebram a glória do santo, envoltos em nuvens. Os anjos alados seguram sete objetos simbólicos relacionados com os atributos de São Pedro de Alcântara representando: uma cruz, uma palma, uma coroa de rosas, um ramo de lírio, um livro, o cinto de corda franciscano, e cilício e disciplinas com as quais o santo se martirizava.

A composição apresenta um grande sentido de agitação e movimento.

S. Pedro de Alcantara, pormenor.jpg

Pormenor do painel que se encontra a rematar a entrada principal da igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor. Op. cit., pg. 92

Santa Teresa é identificada pelo hábito carmelita, pela pena e o livro, remetendo para a sua vastíssima produção literária. São Pedro de Alcântara veste o seu traje franciscano e é identificado pelos atributos que os anjos seguram. A cena do fundo remete para um milagre da vida do santo em que este caminhou acompanhado sobre as águas do rio Guadiana.

Carvalho A. R. A.  Os Retábulos da Nova Igreja do Mosteiro de Santa Clara em Coimbra. Dissertação de Mestrado em História da Arte, Património e Turismo Cultural. 2015. Edição da Universidade de Coimbra. Acedida em https://www.academia.edu/23902176/Os_Retabulos_da_Nova_Igreja_do_Mosteiro_de_Santa_Clara_em_Coimbra ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 19:29

Terça-feira, 07.03.23

Coimbra: Retábulos da Igreja do Mosteiro de Santa Clara, 4

 

Painel de São João Capistrano

Painel de S. João Capristano. Op. cit., pg. 80.jp

Painel do retábulo dedicado a S. João Capristano na igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit., pg. 80

No quinto retábulo lateral do lado da epístola figuram São João Capistrano e Nossa Senhora. Do lado esquerdo o santo é representado ajoelhado a estender os braços na direção da aparição, trajando hábito franciscano e acompanhado de um estandarte em forma de cruz com uma bandeira vermelha e inscrição central: IHS. A Virgem eleva-se do lado direito do painel e é acompanhada de uma comitiva de anjos e cabeças de anjo aladas. Apresenta-se aureolada, sentada em nuvens e segurando um cálice nas suas mãos. O fundo do painel ilustra uma paisagem de flores, árvores e montanhas. O gesto da personagem franciscana define uma diagonal marcada em direção à figura divina. Na edícula de remate é representada uma espada, uma cruz e uma palma

Painel de S. João Capristano, pormenor. Op. cit.,

Painel do retábulo dedicado a S. João Capristano na igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor. Op. cit., pg. 80

O santo é representado acompanhado de uma cruz e/ou de um estandarte com o cristograma difundido por São Bernardino de Siena. Veste hábito franciscano e carrega uma cruz vermelha ao peito. É também frequente a alusão à sua participação na batalha contra os turcos através da representação do santo de armadura, armado com uma espada ou espezinhando um turco. Menos comum é a sua representação junto com a Virgem Maria, relacionando o santo com a sua devoção a Nossa Senhora.

   

 Painel de Santa Coleta

Painel de S. Coleta. Op. cit., pg. 84.jpg

Painel do retábulo dedicado a Santa Coleta na igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit.

O último retábulo lateral do lado do evangelho ostenta um painel com uma composição representada por cinco figuras, duas femininas e três masculinas. Ao centro, o papa veste traje, luvas e coroa papal e encontra-se sentado num trono de dossel e ladeado por dois bispos que o acompanham. Aos seus pés, ajoelham-se duas figuras femininas, vestindo o hábito de clarissas, sendo que a da direita recebe das mãos da figura entronizada um papel onde se percebe a seguinte inscrição: S.COLETA, FR/EYRA DE Sª CL/ARA, AQVAL DEI/TOY OHABITO O/ PAPA, ELHE FES/ PROFISAM E MAN/DOY REFORMAR/ A SVA RELIGIAM. O fundo do painel e as vestes das personagens são preenchidos com enobrecida padronagem. Na edícula de remate eleva-se uma coroa de flores.

Painel de S. Coleta, pormenor. Op. cit., pg. 84.jp

Painel de S. Coleta, pormenor. Op. cit., pg. 84

A santa que nos é exibida corresponde a Santa Coleta Boylet, como é referido na inscrição do painel. Santa Coleta é aqui representada recebendo a autorização das mãos do papa Bento XIII para reformar a sua ordem.

Carvalho A. R. A.  Os Retábulos da Nova Igreja do Mosteiro de Santa Clara em Coimbra. Dissertação de Mestrado em História da Arte, Património e Turismo Cultural. 2015. Edição da Universidade de Coimbra. Acedida em https://www.academia.edu/23902176/Os_Retabulos_da_Nova_Igreja_do_Mosteiro_de_Santa_Clara_em_Coimbra ...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 17:03

Quinta-feira, 02.03.23

Coimbra: Retábulos da Igreja do Mosteiro de Santa Clara, 3

Painel de Santo António

Painel de S. António. Op. cit., pg. 72.jpg

Painel do retábulo de Santo António na igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit, pg. 72

A cena do painel do segundo retábulo lateral do lado da epístola faz alusão à aparição do Menino Jesus a Santo António. Representa-se Santo António ajoelhado em frente a um altar com uma cruz, esticando o braço direito para a terna figura jovial do Menino aureolado envolto em nuvens, anjos e cabeças de anjo aladas.

No pedestal onde se ajoelha jazem umas disciplinas e, por cima da sua cabeça, encontra-se um anjo que segura uma coroa de flores. Por detrás das nuvens onde figura o Menino, lançam-se raios de luz que se estendem na diagonal. Toda a cena é enquadrada por um portal e tanto a vestimenta do santo como o fundo da cena são revestidos de padronagem a ouro.

Painel de S. António, pormenor. Op. cit., pg. 72.

Painel do retábulo de Santo António na igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor. Op. cit, pg. 72

A cena do milagre da aparição do Menino Jesus a Santo António invadiu as igrejas franciscanas pois resumia a vida do santo no momento de maior climax entre ele e a entidade divina. Tal como a cena da estigmatização está para S. Francisco, a aparição do Menino está para Santo António como o episódio de maior aproximação a Cristo, credibilizando a sua santidade.

 

Painel de S. Luís de Tolosa

Painel de S. Luis de Tolosa. Op. cit., pg. 76.jpg

Painel do retábulo dedicado a S. Luís de Tolosa na igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit., pg. 76

O painel do quarto retábulo lateral na igreja de Santa Clara-a-Nova retrata a cena de S. Luís, bispo franciscano, auxiliando o Rei D. Dinis de um ataque de um javali. O Bispo S. Luís, no canto superior direito, apresenta-se com hábito franciscano e coroa de bispo, segurando na mão direita um báculo e na esquerda um livro. Abaixo deste, dispõem-se em diagonal as restantes três personagens. Em cima, no lado esquerdo, envolto de árvores vislumbra-se uma cabeça de cavalo e, no lado oposto da diagonal, estica-se um javali em direção à figura do rei. D. Dinis apresenta-se de bigode, ricamente vestido, usando uma capa vermelha, botas com esporas e trazendo duas espadas: uma à cintura e outra na mão direita, que empunha em direção à figura do javali. A seus pés, um cetro e uma coroa denunciam o seu estatuto e jazem no chão da cena.

Painel de S. Luís de Tolosa, pormenor. Op. cit.,

Painel do retábulo dedicado a S. Luís de Tolosa na igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor,. Op. cit., pg. 76

Esta cena retrata a lenda em que D. Dinis é atacado por uma fera e é salvo pela interceção divina de S. Luís de Tolosa. Existe alguma divergência no que toca à localização do episódio desta lenda, uns referem que se desenrolou em Monte Real (Leiria) outros afirmam que se passou em Baleizão (Beja). A lenda conta que um dia o rei D. Dinis saíra para caçar montado a cavalo e fora surpreendido por um monstruoso urso que o fez cair da sua montada. Aflito com o animal selvagem por cima de si, o rei invoca a proteção de S. Luís, Bispo de Tolosa e parente de sua esposa, que lhe aparece e lhe indica que matasse o animal com a espada que trazia à cintura. O rei assim o fez e consegue vencer a fera.

Carvalho A. R. A.  Os Retábulos da Nova Igreja do Mosteiro de Santa Clara em Coimbra. Dissertação de Mestrado em História da Arte, Património e Turismo Cultural. 2015. Edição da Universidade de Coimbra. Acedida em https://www.academia.edu/23902176/Os_Retabulos_da_Nova_Igreja_do_Mosteiro_de_Santa_Clara_em_Coimbra ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 10:15

Terça-feira, 28.02.23

Coimbra: Retábulos da Igreja do Mosteiro de Santa Clara, 2

Painel da Rainha Santa Isabel (Milagre das Rosas de Alenquer)

Painel do terceiro retábulo lateral do lado da epístola da igreja de Santa Clara-a-Nova. Op cit., pg. 61

De frente para a porta de entrada encontra-se o terceiro painel lateral do lado da epístola, alusivo à Padroeira, acompanhada por 6 pedreiros. Em primeiro plano, a Rainha Santa Isabel, apoiada no seu bordão de peregrina, oferece uma rosa a um mestre pedreiro que se ajoelha à sua frente com o chapéu pousado no joelho e com a sua cesta de ferramentas,

Painel do Milagre das Rosas em Alenquer. Op cit.,

Painel do terceiro retábulo lateral do lado da epístola da igreja de Santa Clara-a-Nova. Op cit., pg. 61

Painel do Milagre, pormenor das Rosas em Alenquer,

Painel do terceiro retábulo lateral do lado da epístola da igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor. Op cit., pg. 61

Fazendo-se acompanhar de uma personagem mais nova, remetendo para a representação de um mestre e o seu aprendiz. A composição destas figuras é marcada pela carregada diagonal que a entrega da rosa confere aos braços das personagens. Na cena de fundo identificam-se quatro pedreiros através do material em que trabalham e das ferramentas que utilizam.

… É o Milagre das Rosas de Alenquer que se encontra representado em Santa Clara-a-Nova, tal como fora pedido em contrato, identificando-se a temática através das rosas que os pedreiros trazem consigo, aludindo ao momento em que a rainha as distribui. A santa é vestida com roupas nobres, sem coroa e identificada através dos atributos das rosas e do bordão de peregrina.

 

Painel de Santa Isabel de Portugal

Painel da Rainha Santa. Op. cit., pg. 66.png

Painel do retábulo que se encontra no fundo da igreja, na parede de separação dos coros, no lado do evangelho da igreja de Santa Clara-a-Nova. Op. cit., pg.66.

Painel  da Rainha Santa, pormenor. Op. cit., pg. 6

Painel do retábulo que se encontra no fundo da igreja, na parede de separação dos coros, no lado do evangelho da igreja de Santa Clara-a-Nova, pormenor.. Op. cit., pg.66.

É composto pela imagem de Santa Isabel que se ergue entre pilastras, vestida de clarissa, coroada e com auréola, segurando na mão direita o bordão de peregrina e rosas no regaço. Elevada sobre um pedestal tem a seus pés 3 personagens (que aparentam ser uma criança, um homem de moletas e uma senhora) que erguem seus olhos, mãos e taças para a personagem principal, formando um triângulo compositivo.

De fundo foi retratada uma paisagem com árvores e montes. Na edícula de remate do retábulo foi representado o brasão régio que une a casa de Portugal com a de Aragão.

Carvalho A. R. A.  Os Retábulos da Nova Igreja do Mosteiro de Santa Clara em Coimbra. Dissertação de Mestrado em História da Arte, Património e Turismo Cultural. 2015. Edição da Universidade de Coimbra. Acedida em https://www.academia.edu/23902176/Os_Retabulos_da_Nova_Igreja_do_Mosteiro_de_Santa_Clara_em_Coimbra ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 09:53

Quinta-feira, 23.02.23

Coimbra: Retábulos da Igreja do Mosteiro de Santa Clara, 1

Chamamos hoje a atenção dos nossos leitores para uma série de sete entradas, extraídas de uma dissertação que versa o tema em epígrafe.

De assinalar que este trabalho vai para além do mero estudo dos retábulos existentes na Igreja do Mosteiro, sendo complementado não só pela análise do todo da igreja, das razões que levaram D. João IV a determinar a sua construção e ainda por estudos comparativos com outras igrejas.

Nessa análise é, nomeadamente salientado, que o novo mosteiro é construído numa cota mais elevada, em confronto direto com o polo da Universidade, onde o poder régio é reforçado pela presença sistemática do brasão real, tal como acontece na entrada da igreja do mosteiro de Santa Clara-a-Nova, demarcando o patrocínio do monarca na edificação. O impacto e a monumentalidade do mosteiro na malha urbana de Santa Clara confere à paisagem um equilíbrio de complementaridade com a Alta de Coimbra, sendo já pertencente à representação iconográfica da cidade e atuando como uma espécie de polo de ligação entre as duas colinas, separadas pelo rio mas unidas pela mesma tutela.

Retábulos da Igreja do Mosteiro de Santa Clara, l

O Autor apresentada a localização do conjunto retabular existente.

Reconhecendo o menor conhecimento do público em geral, pelo conjunto retabular do corpo da igreja que na obra se encontra a partir da página 44, será ao mesmo que estas entradas serão dedicadas

Os retábulos que envolvem a nave da igreja de Santa Clara-a-Nova apresentam notória homogeneidade na sua composição que, em comunhão com a perfeita simbiose entre talha e espaço arquitetónico, deixam transparecer singular sensação de conjunto. Os retábulos do corpo da igreja foram executados de raiz para aquele espaço específico, enquadrando-se na perfeição com o campo arquitetónico a eles destinado. … No contrato de encomenda de 1692, lavrado a 28 de Outubro com os mestres entalhadores António Gomes e Domingos Nunes, estipulava-se que se executassem dois retábulos colaterais e nove retábulos laterais … fazendo-se usar de “(…) pao de Castanho130 Cortado em boa talhadia.

Painel de S. Francisco

Painel de S. Francisco. Op. cit., pg. 49.png

Relevo da estigmatização de São Francisco de Assis, da igreja do mosteiro de Santa Clara-a-Nova. Pormenor. Op. cit., pg. 49.

O primeiro retábulo lateral do lado da epístola corresponde à estigmatização do santo fundador, … é composto pela figura do santo, de frei Leão e de um serafim. Frei Leão encontra-se sentado no canto inferior esquerdo absorvido pela leitura de um livro e ignorando a ação que se desenrola à sua volta. S. Francisco, posicionado no lado direito, estica-se em direção à aparição do serafim envolto em nuvens, que se encontra no canto superior esquerdo, conferindo marcante diagonal na composição. A cena é rodeada de rochas e árvores e, como fundo, apresenta uma paisagem com a representação de casario.

Ambas as figuras vestem hábito franciscano e o serafim é representado cruxificado.

Painel de S. Francisco, pormenor. Op. cit., pg. 49

Relevo da estigmatização de São Francisco de Assis, da igreja do mosteiro de Santa Clara-a-Nova. Pormenor. Op. cit., pg. 49.

  No retábulo dos estigmas a importância da liberdade do artista na execução da obra, sem se cingir a uma gravura única, permitiu a oportunidade de mostrar a desenvoltura expressa na qualidade técnica. Isto deveu-se à escolha de uma das mais trabalhadas temáticas franciscanas que não ofereceu dúvidas aos imaginários quanto à sua representação.

 Painel da visita do papa Nicolau V ao túmulo de S. Francisco

Painel da visita do papa. Op. cit., pg. 55.png

Relevo do painel sem altar localizado no fundo da igreja, do lado da epístola, relativo à visita do papa Nicolau V ao túmulo de S. Francisco. Op. cit., pg. 55

A figura de S. Francisco ganha destaque num segundo retábulo que não consta do contrato inicial mas que, nitidamente, saiu da mesma oficina, reforçando, mais uma vez, o relevante papel da imagem do fundador da ordem. O painel sem altar do lado da epístola que se encontra ao fundo da igreja na parede de separação dos coros, coroa o túmulo de uma “(…) senhora da dinastia de Avis (…)” . O foco principal do relevo dirige o olhar do espectador para o canto inferior direito onde se destacam as figuras de S. Francisco, aureolado e posicionado sobre um pedestal; e do papa Nicolau V, ajoelhado a seus pés, ricamente vestido e fazendo-se acompanhar da tiara papal que jaz no chão.

Painel da Visita do Papa, pormenor.pngRelevo do painel relativo à visita do papa Nicolau V ao túmulo de S. Francisco, pormenor. Op. cit., pg. 55

Num segundo plano e a rodear a cena principal quatro figuras posicionam-se em composição triangular em direção ao canto superior esquerdo do painel, equilibrando a composição e conferindo uma diagonal realçada pelo contraste com a verticalidade e rigidez da figura do santo. Como cenário de fundo, uma parede de pedra com um arco de volta perfeita e uma porta encerram o espaço principal onde se desenrola a cena, iluminada por um candeeiro. No canto superior esquerdo encontra-se uma inscrição onde se lê: FVNERIS S FRANCISCI / PERMIRA CONSTITVT). Na edícula que remata o painel, gravaram-se os símbolos representativos de S. Francisco expostos sobre uma cabeça de anjo alada centrada numa nuvem. Mais uma vez, usou-se a representação dos dois braços cruzados com chagas mas acrescentou-se a Cruz de Cristo.

Carvalho A. R. A.  Os Retábulos da Nova Igreja do Mosteiro de Santa Clara em Coimbra. Dissertação de Mestrado em História da Arte, Património e Turismo Cultural. 2015. Edição da Universidade de Coimbra. Acedida em https://www.academia.edu/23902176/Os_Retabulos_da_Nova_Igreja_do_Mosteiro_de_Santa_Clara_em_Coimbra ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 11:17

Terça-feira, 24.11.20

Coimbra: Retábulo da Estigmatização de S. Francisco 2

Entre os séculos XV e XVIII Portugal foi-se cobrindo de um manto intenso de luz no interior das suas igrejas.

Convento Santa Clara-a- Nova. Interior da igreja.j

Convento Santa Clara-a-Nova. Interior da igreja

Ao longo desses séculos, os emotivos retábulos aquecidos a ouro foram ganhando as preferências nacionais, deixando-se para trás as mais frias (de pudor tratadístico) estruturas italianizantes trabalhadas em pedra.

Interior da igreja do mosteiro.png

Fig. 3 - Interior da igreja do mosteiro de Santa Clara-a-Nova em Coimbra. 2014. (Fotografia cedida por Anabela Carvalho)

 … No caso privilegiado de Santa Clara, a reformulação de um novo mosteiro ocasionou a execução de retabulária totalmente nova e especialmente encomendada para esse efeito, seguindo, em conformidade, o sentido estabelecido …

Convento Santa Clara-a- Nova. Retábulos.jpg

Convento Santa Clara-a-Nova. Retábulos

 Os 14 retábulos seguem todos a mesma composição dada por Mateus do Couto … Os retábulos que compõem a nave distribuem-se ao longo da mesma: 9 laterais, encaixando-se entre as pilastras da igreja; 2 colaterais; 2 sem altar (paralelamente aos colaterais); e 1 painel da mesma composição sobre a porta de entrada. Os baixos-relevos apresentam um grande sentido de movimento, através de corpos ondulantes, diagonais e panejamentos flutuantes e são pintados sobre folha de ouro, em cores suaves. Os seus imaginários e entalhadores, António Gomes e Domingos Nunes, assinaram contrato em 28 de Outubro de 1692 … É provável que, posteriormente, tenham sido encomendados os 3 painéis que faltam e que não estão no contrato, visto que os processos de decoração da igreja se prolongaram até ao século XIX.

Painel do retábulo da estigmatização.png

Fig. 4 - Painel do retábulo da estigmatização de S. Francisco, 1692, António Gomes e Domingos Nunes. 2014 (Fotografia cedida por Anabela Carvalho)

Gravura da folha de rosto da obra Missae ....png

Fig. 5 - Gravura da folha de rosto da obra Missae propriae festorum ordinis fratrum minorum ...1675. Officina Roderica de Carvalho Coutinho.

 O primeiro retábulo lateral do lado da epístola corresponde à estigmatização do santo fundador, como estipulado em contracto, localizado hierarquicamente no conjunto dos retábulos laterais do lado da epístola e iniciando a leitura global da retabulária. O painel é composto pela figura do santo, de frei Leão e de um serafim. Frei Leão encontra-se sentado no canto inferior esquerdo absorvido pela leitura de um livro e ignorando a acção que se desenrola à sua volta. S. Francisco, posicionado no lado direito, estica-se em direcção à aparição do serafim envolto em nuvens, que se encontra no canto superior esquerdo, conferindo marcante diagonal na composição. A cena é rodeada de rochas e árvores e, como fundo, apresenta uma paisagem com a representação de casario. Ambas as figuras vestem hábito franciscano e o serafim é representado cruxificado.

A cena do relevo congela a passagem da vida de S. Francisco em que este recebe os estigmas. Segundo S. Boaventura, a quando do seu retiro de Quaresma em honra de São Miguel para o monte Alverne, o santo contempla a aparição de um “(…) serafim de seis asas flamejantes (…)” crucificado em que “(…) Duas asas elevavam-se por cima de sua cabeça, duas outras estavam abertas para o vôo, e as duas últimas cobriam-lhe o corpo (…)”. Durante esse êxtase, S. Francisco sente “(…) uma alegria transbordante ao contemplar a Cristo que se lhe manifestava de uma maneira tão milagrosa e familiar, mas ao mesmo tempo uma dor imensa, pois a visão da cruz traspassava sua alma com uma espada de dor e de compaixão (…)”. Após a aparição, surgem-lhe marcas nas mãos e nos pés e na lateral direita do tronco, correspondendo à localização das 5 chagas de Cristo. S. Francisco assemelhava-se assim a Cristo, não apenas pela sua forma de estar na vida, mas também de forma tão visível como os estigmas, executando, a partir dai, diversos milagres.

… No caso do relevo dos estigmas em Santa Clara-a-Nova, S. Francisco de Assis apresenta-se numa posição de movimento ascensional, acompanhado de frei Leão e envolto em natureza.

Os entalhadores do painel da estigmatização de S. Francisco na nova igreja de Santa Clara de Coimbra revelam influências de gravuras que circulavam na época … o «Missae propriae festorum ordinis fratrum minorum ...», de 1675, que apresenta S. Francisco de mãos cruzadas.

Contudo, é essa que mais se assemelha ao relevo do retábulo da estigmatização da igreja do mosteiro de Santa Clara-a-Nova, pela sua organização compositiva, a mesma diagonal, a presença de frei Leão no canto inferior esquerdo, o mesmo desenho de árvore e a envolvência pela natureza.

.... No retábulo dos estigmas a importância da liberdade do artista na execução da obra, sem se cingir a uma gravura única, permitiu a oportunidade de mostrar a desenvoltura expressa na qualidade técnica.

… A maior liberdade na execução duma temática recorrente resultou numa abordagem única conferida pela forte aposta em diagonais marcadas e de maior movimento, demonstrando a qualidade técnica dos seus autores. A obrigatoriedade do tema do fundador, a par com o resto do conjunto, foi desenvolvida na simbiose entre o gosto régio e a técnica da talha portuense, resultando num singular dispositivo de retabulária nunca antes executada em Portugal.

Carvalho, A. R. O Retábulo da Estigmatização de S. Francisco na igreja de Santa Clara-a-Nova em Coimbra. In: O Retábulo no Espaço Ibero-Americano. Forma, função e iconografia. Coordenação de Ana Celeste Glória. Volume 2. 2016. Lisboa, Instituto de História da Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas / NOVA. Pg. 27-29

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 11:38


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Julho 2024

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031