Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra


Quinta-feira, 17.11.16

Coimbra: o Mosteiro de Santa Cruz e os Mártires de Marrocos

Os cinco desafortunados franciscanos ... naturais de Toscânia, foram enviados a Marrocos, por São Francisco, para levarem e pregarem a mensagem evangélica nas terras do Miramolim.

... Movido de má vontade, perante várias insistências dos pregadores, o sultão mandou matá-los e deitar os cadáveres na lixeira da cidade. Dom Pedro (irmão do rei D. Afonso II), quando soube do caso, procurou maneira de, secretamente, no silêncio da noite posta, recolher as ossadas poupadas ao fogo, sendo coadjuvado nessa piedosa tarefa pelo seu confessor e cónego de Santa Cruz, o padre João Roberto.

Sabe-se que procederam às preparações das relíquias e, já limpas e secas ao sol, envolveram-nas em panos mouriscos e colocaram-nas em caixas de madeira. Partiram com estes despojos e, chegados à Galiza, Dom Pedro separou-se da comitiva, que prosseguia para Coimbra, no sentido de homenagear o monarca, como também a sua cidade natal, com um legado muitíssimo valioso, vindo sob o cuidado do serviçal Afonso Pires.

No campo do Bolão, teve lugar a condigna receção, feita na presença de Dom Afonso II, do cabido da catedral e de grande multidão de fiéis que, processionalmente, quiseram acompanhar o percurso das referidas caixas, transportadas por duas azémolas, sempre ligeiras à cabeça do cortejo, mas, em vez de seguirem na direção da Sé, meteram-se, milagrosamente, para Santa Cruz, cujos cónegos terão preparado para serem os detentores daquelas preciosidades.

Dias, P. e Coutinho, J.E.R. 2003. Memórias de Santa Cruz. Coimbra, Câmara Municipal. Pg. 54, 56 e 57

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 14:50

Sábado, 01.08.15

Coimbra, factos relevantes ocorridos no Paço Real

… são abundantes as fontes que permitem detetar a ocupação do Paço Real coimbrão por parte dos primeiros monarcas: as crónicas referem a contínua presença em Coimbra de D. Afonso Henriques … Aqui casou, de facto, em 1146 com D. Mafalda; aqui lhe nasceram todos os seus filhos … entre os quais, em 1154, o futuro D. Sancho I; aqui morreu a Rainha em 1157; nasceu D. Afonso II, em 1185 …; recebeu D. Sancho I, em 1196, a visita de seu cunhado, Afonso II de Leão; morreu, em 1198, a Rainha D. Dulce; nasceu, em 1202, D. Sancho II e, em 1210, D. Afonso III; morreu, em 1211, D. Sancho I e, em 1229, D. Urraca de Castela, esposa de Afonso II, que a seguiria, em Coimbra, ainda, três anos mais tarde; aqui se deu, em 1246, o ignominioso rapto da Rainha D. Mécia, esposa de Sancho II; nasceu, em 1261, o Rei D. Dinis; D. Afonso IV, em 1291; D. Pedro I em 1320 e D. Fernando em 1345. Além de inúmeros Infantes e Infantas, incluindo, a crer na tradição, o próprio Afonso Henriques

No Paço, igualmente, teriam lugar, em 1211, as primeiras Cortes de que existe documentação e, na cidade, as de 1261, 1283, 1355, 1367 (ou 69) e 1370, aqui as reunindo seis vezes D. João I (1385, 1387, 1390, 1394/95, 1397 e 1400) e ainda D. Afonso V em 1472.

Pimentel, A.F. 2005. A Morada da Sabedoria. I. O Paço real de Coimbra. Das Origens ao Estabelecimento da Universidade. Coimbra, Almedina, pg. 266.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 16:50


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Setembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930