Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra


Terça-feira, 20.10.20

Coimbra: Coro D. Pedro de Cristo 3

Para os mais velhos, ao falar do Coro D. Pedro de Cristo está, sempre, associado o nome do Dr. Francisco Faria.

Recorda Maria do Rosário Pericão, uma das fundadoras do Coro.

Com efeito o Dr. Francisco apresentava já, naquela época [aquando do início do Coro] um notável curriculum como fica demonstrado nos dados biográficos então divulgados e que nos permitimos transcrever.

«Nascido em S. Paio de Seide (V.N. de Famalicão) no ano de 1926, Francisco Faria começou os seus estudos no Seminário Diocesano de Braga, tendo como professor seu irmão o compositor Manuel Faria e continuou os seus estudos musicais em Coimbra ao mesmo tempo que cursava Direito o que concluiu em 1954 … em 1961 foi nomeado professor de História da Música da Faculdade de Letras de Coimbra.

Durante a sua permanência em Coimbra e ainda estudante, participa em todas as manifestações musicais que culminaram na criação do Coral  dos Estudantes da Faculdade de Letras de que foi Diretor Artístico e à frente do qual durante quase dezasseis anos deu o melhor do seu trabalho e saber conduzindo-o aos maiores sucessos no país e no estrangeiro.

Homenagem do Coro e do Instituto.jpgHomenagem do Coro e do Instituto de Justiça e Paz que atribuiu o nome de Francisco Faria, à sala de ensaios. 06.07.2016

Tendo sido honrado com o pedido de um curto depoimento para esta obra ali figura o seguinte texto.

Acompanhei o nascimento do Coro D. Pedro de Cristo, mas o meu relacionamento com o grupo assumiu outra dimensão depois de ter passado a exercer as funções de primeiro Diretor do Departamento de Cultura da Câmara Municipal de Coimbra, Foi no exercício desse cargo e da amizade então cimentada com o Dr. Francisco Faria - pessoa com quem tanto aprendi - que aprofundei o meu conhecimento acerca das escolas de música que outrora  existiram em Coimbra, da importância do Patrono do Grupo na música coral portuguesa e da pertinência  deste tipo de música.

Posso afirmar a qualidade do Coro recordando uma pequena história, No âmbito da geminação de Coimbra com Poitiers, o Coro D, Pedro de Cristo, em permuta com o Chorale Josquin des Prés, deslocou-se àquela cidade, onde atuou. O nível artístico atingido mereceu, na imprensa local, lisonjeiras referências.

Retribuindo a visita, o referido Chorale deslocou-se a esta cidade e realizou um concerto na Sé Nova. Recordo a «zanga» de Francisco Faria, quando, no decurso da atuação do grupo constatou que o mesmo, a fim de atingir uma qualidade semelhante à patenteada pelo grupo português, tinha sentido necessidade de se socorrer da colaboração de profissionais do canto. Fica o meu testemunho.

Concerto de Reis dedicado aos utentes.jpg

Concerto de Reis dedicado aos utentes e funcionários do Solar das Chãs. 05.01.2020

Medalha.jpgMedalha comemorativa do cinquentenário do Coro D. Pedro de Cristo

Pereira, I.B., Pedro, I., Figueiredo G.T. Coordenadores. Coro D. Pedro de Cristo. 50 anos: memórias e história(s). 1970-2020. Coimbra, Coro D. Pedro de Cristo – Associação Cultural.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 19:32

Quinta-feira, 15.10.20

Coimbra: Coro D. Pedro de Cristo 2

O antigo coralista Dr. Francisco José Jacob Neves salienta que o Coro D. Pedro Cristo ao optar claramente por incluir música antiga no seu reportório leva a que o coro continue a   interpretar regularmente ainda os «Quatro Responsórios de Natal» de D. Pedro da Esperança, compositor da mesma escola. Nas largas dezenas de folhas de sala que o coro possui no seu arquivo vemos ainda obras dos cancioneiros tardo-medievais e maneiristas ibéricos e obras de todas as épocas até ao séc. XXI de compositores portugueses e estrangeiros.

… A influência musical e o gosto especial que o coro tem pela música de produção nacional tem também origem nas apostas do seu primeiro diretor que marcaram um estilo que ainda hoje se mantém. Quatro grandes compositores se destacam neste âmbito: o patrono do coro, D. Pedro de Cristo, o seu irmão e compositor Padre Manuel Faria, o professor e compositor Mário de Sousa Santos e o compositor e etnomusicólogo Fernando Lopes-Graça.

Concerto no Colégio de S. Teotónio.jpgConcerto no Colégio de S. Teotónio em Coimbra. 16.03.1979. Op. cit. Pg. 201

Senhor de um grande historial o Coro tornou-se ao longo dos anos uma grande família com uma atividade notória e com uma intervenção musical, cultural e social muito significativa.

Não havendo registo sistemático e global de todos os concertos … foram levadas a cabo 670 atuações comprovadas … destas cerca de 35 foram no estrangeiro.

 

Digressão do Coro a França.jpg

Digressão do Coro a França – Região da Alsácia. Março e Abril de 1980. Op. cit. Pg. 208

 Apresentou mais de 350 obras de 72 autores nacionais e estrangeiros. Participaram nestas atividades cerca de 520 coralistas, aproximadamente entre 40 a 60 por ano,

Leonor Martins de Almeida, único elemento ativo desde a fundação do Coro, recorda de forma emocionada a vivência que nele se vive, salientando que ao mesmo tempo que o Coro se foi afirmando pela sua qualidade artística, o grupo foi-se tornando mais coeso, um verdadeiro grupo de amigos … Em particular, nos naipes geraram muitas amizades para a vida.

Recorda ainda como foi assegurada a continuidade. Inevitavelmente, a idade já um pouco avançada do nosso querido «Chefe», obrigou-o a procurar por vários momentos, uma alternativa para a sua substituição como maestro do Coro. A Cristina Faria surgia sempre com a alternativa óbvia, mas ela entendia não ser ainda o seu tempo e o «Chefe» lá se foi mantendo e, finalmente, em 2009, a Cristina acabou por aceitar ficar como maestrina, a pedido insistente do Coro e do seu Pai.

 

Concerto de Reis, no Conservatório de Música de Concerto de Reis, no Conservatório de Música de Coimbra. 11.01.2020. Op. cit. Pg. 175

Via a Cristina Faria ainda criança, no início do Coro a deambular pela sala dos ensaios e, mais crescida, como soprano quando entrou para o Coro, em 1976. E que soprano! Uma voz belíssima … E agora ali estava ela, a dirigir o Coro, uma maestrina com muita «garra», com o seu estilo próprio.

Pereira, I.B., Pedro, I., Figueiredo G.T. Coordenadores. Coro D. Pedro de Cristo. 50 anos: memórias e história(s). 1970-2020. Coimbra, Coro D. Pedro de Cristo – Associação Cultural.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 18:21

Terça-feira, 13.10.20

Coimbra: Coro D. Pedro de Cristo 1

Foi recentemente pulicado o livro Coro D. Pedro de Cristo. 50 anos: memórias e história(s). 1970-2020. Com estas três entradas – constituídas por textos e imagens ali publicadas – queremos homenagear um Coro que tem honrado a cidade de Coimbra e levado o seu nome por esse Mundo fora. Pelo meu lado, simplesmente: OBRIGADO.

Coro D. Pedro de Cristo, capa.jpgCoro D. Pedro de Cristo. 50 anos: memórias e história(s). 1970-2020, capa

No programa do seu 1.º concerto, realizado em 16 de maio de 1970, era referido.

O Coro D. Pedro de Cristo, para além da cultura dos seus componentes e convivência através do canto, propõe-se contribuir para a animação e renovação das liturgias, bem como para a difusão da arte musical para um público que geralmente não participa em espetáculos.

Tudo tinha começado quando o Doutor José Antunes, um dos elementos fundadores do Coro, em Março de 1970, ao ter conhecimento de que o Dr. Francisco Faria se encontrava desvinculado da direção artística do Coral de Letras da Universidade de Coimbra, procurei, de imediato, o bom e grande amigo de longa data. Encontrámo-nos, e em conversa muito franca e cordial, comunicou-me que muito ambicionava fundar um Coro. Dada tão peculiar coincidência de planos e até de objetivos entre ambos, sugeri então ao distinto maestro que poderia levar por diante o seu auspicioso projeto, criando e integrando um Coro do Centro de Estudos Teológicos, como prolongamento da cadeira de Liturgia, comprometendo-me, pela minha parte, a proporcionar condições favoráveis e sede própria. E foi assim que com um misto de bom entendimento e de júbilo, surgiu, em boa e ditosa hora, o grupo coral denominado (por feliz sugestão do Dr. Francisco Faria), Coro de D. Pedro de Cristo. Um nome, aliás, recebido com plena satisfação por todos os seus primeiros componentes, porquanto evocava e prestava merecida homenagem a um insigne e grande compositor português, dos finais do século XVI e princípios do século XVII, o Cónego Regrante D. Pedro de Cristo (1550-1618), verdadeiro "esplendor musical" do prestigiado Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra.

 

Concerto nos Claustros do Mosteiro de Santa Cruz.j

Concerto em 19.06.1970. Claustros do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Op. cit. Pg. 178

 Não admira, por isso que um bom grupo de jovens universitários, constituído por crentes e não crentes, assim como outros elementos fora da Universidade, tenham aderido, de imediato, ao Coro D. Pedro de Cristo, logo que surgiu como grupo, no meio académico, desejosos de levar a todos os recantos a boa arte musical, bem conscientes, como hoje, de que a difusão do belo não tem fronteiras.

Basílica de S. Pedro em Roma.jpg

Basílica de S. Pedro em Roma, 02.12.2010. Depois da participação na missa. Op. cit. pg. 256

Pereira, I.B., Pedro, I., Figueiredo G.T. Coordenadores. Coro D. Pedro de Cristo. 50 anos: memórias e história(s). 1970-2020. Coimbra, Coro D. Pedro de Cristo – Associação Cultural.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 12:38


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Janeiro 2021

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31