Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra


Quinta-feira, 31.08.17

Coimbra: Colégio Pontifício e Real de S. Pedro

Foi fundado em 1545 pelo canonista Dr. Rui Lopes de Carvalho... Era destinado pelo fundador a 12 clérigos pobres, que viessem estudar teologia ou cânones à Universidade.Principiou a construção do edifício em 1543 ao cabo da Rua da Sofia, entrando os primeiros estudantes em 1545, depois de confirmada a instituição por breve apostólico de 1 de Agosto deste ano. Fez-se a 29 de Junho de 1548 a sua inauguração solene, que ficou comemorada numa inscrição, aberta na base de um belo busto do patrono S. Pedro, que é guardado pela Faculdade de Letras.

Em 1572 sofreu o Colégio profunda remodelação, sendo então transferido para o novo edifício, que D. Sebastião lhe doara junto do paço real, onde se havia instalado a Universidade, passando a ser fundamentalmente um Colégio para doutores ou licenciados, que ali estagiavam a preparar-se para o professorado, etc.

Colegio Pontifício e Real de S. Pedro 01.jpg

 Colégio Pontifício e Real de S. Pedro

Construiu-se-lhe um edifício próprio, que limita por Leste o pátio universitário, desde a porta principal de ingresso, atualmente chamada «porta-férrea», até topar na Rua da Trindade. Ficou a entrada para o Colégio ao lado da «porta-férrea», adicionando-se-lhe depois ali o majestoso portal das cariátides, que, há menos de setenta anos, foi mudado para a fachada ocidental do edifício; mas o sítio, onde primitivamente estivera este ostentoso portal, uma simples porta de serviço. O edifício abandonado pelo Colégio na Rua da Sofia foi aproveitado para a instalação do... Colégio de S. Pedro dos Franciscanos Calçados.

 ... A biblioteca do Colégio de S. Pedro era importante. Tinha abundância de livros clássicos; nela se encontravam não só bons livros de cada uma das ciências professadas nas Faculdades universitárias, mas também de cultura geral, de história, de literatura, de humanidades – cerca de 8.000 volumes, entre os quais espécies bibliográficas preciosas e alguns manuscritos.

... Extinto o Colégio de S. Pedro por decreto de 16 de Julho de 1834, foi o seu edifício entregue à Universidade... o decreto de 10 de Maio de 1855 ordena ... O edifício do extinto Colégio de S. Pedro... fica ... para a acomodação da Comitiva das Pessoas Reais, quando ali forem pousar ou residir.

... Criada de novo na Universidade de Coimbra uma Faculdade de Letras, na reforma universitária de 1911... foi-lhe para este efeito designado o andar nobre.

 Vasconcelos, A. 1987. Escritos Vários Relativos à Universidade de Coimbra. Reedição preparada por Manuel Augusto Rodrigues. Volume I e II. Coimbra, Arquivo da Universidade de Coimbra, pg.198-206, do Vol. I

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 09:18

Terça-feira, 01.08.17

Coimbra: Colégios Universitários

Breve explicação

Com a presente é iniciada uma sequência de 28 entradas dedicadas aos Colégios Universitários de Coimbra.

Este conjunto de entradas têm como principal fonte um muito interessante texto sobre o tema do Doutor António de Vasconcelos, o qual é parte do seu livro Escritos Vários.

Os Colégios são apresentados na ordem definida por aquele Professor, a qual respeita a sequência cronológica do ato fundador de cada colégio.

 

Transferida para Coimbra a Universidade portuguesa em 1537, logo em 1539 vem o primeiro Colégio colocar-se à sua sombra, seguido doutros, que sucessivamente se vão fundando e anexando, construindo-se edifícios próprios, sempre sob a proteção e, geralmente com subsídios e amparo do grande Rei-mecenas D. João III

... em 1557, já em volta do gigantesco tronco da florentíssima e frutífera Universidade de Coimbra, vegetavam, exuberantes de vida, como vigorosas vergônteas, à roda de feracíssima oliveira, nada menos de 14 colégios universitários!

O número foi depois crescendo sucessivamente, de forma que, ao findar o século XVI já eram 16, quando terminou o século XVII contavam-se 20, e no século XVIII atingiu o número de 23; aqui parou.

Scan_0032.jpg

Scan_0033.jpg

 Planta com a localização dos Colégios Universitários de Coimbra e respetiva legenda

Não eram todos os Colégios do mesmo tipo; se bem os considerarmos, temos de os agrupar em três classes ou tipos distintos. Vejamos:

Entre eles havia 1 Colégio inconfundível, que era o principal, e parecia dever estar solidamente unido à Universidade, como parte essencial e indispensável. Era o Real Colégio das Artes ... onde se ministrava o ensino das línguas e literaturas, da filosofia e humanidades, o que constituía a 5.ª das Faculdades académicas, a Faculdade das Artes. Por isso se dava a este Colégio a denominação de «Escolas menores», em contraposição às «Escolas maiores», onde residiam as 4 faculdades principais.

... Era pois singular este tipo de Colégio universitário.

... Ao segundo tipo pertenciam 2 colégios – o de S. Pedro e o de S. Paulo ... Ali faziam os colegiais a sua preparação e tirocínio para o professorado universitário.

Trajos dos colegiais.jpg

 Trajos dos colegiais dos dois Colégios Reais, de S. Pedro, e de S. Paulo

 ... Havia um terceiro tipo colegial, que era o mais numeroso. Colégios de alunos ou leigos, que neles viviam agremiados, para seguirem os estudos universitários, sustentados pelas rendas das respetivas instituições, rendas estas devidas quer à munificência régia, quer à caridade doutros benfeitores, quer a consignações feitas por entidades religiosas interessadas.

Alguns deste Colégios se fundaram primitivamente para abrigar e sustentar rapazes seculares pobres, geralmente clérigos.

... Outros foram desde o princípio fundados pelas Ordens monásticas, para ilustração e ensino daqueles de seus frades, para isso escolhidos.

 ... Também as Ordens militares tiveram Colégios universitários para os seus freires estudantes.

... Os edifícios dos Colégios das Ordens religiosas e militares não eram habitados exclusivamente pelos frades e pelos freires alunos; ali residiam também, com os estudantes, os lentes das Ordens respetivas. Lá viviam ainda os frades leigos e serviçais necessários, constituindo cada Colégio uma família numerosa.

... À frente de cada um destes Colégios estava um prelado, que em geral se apelidava Reitor, em linguagem académica; excetuava-se o do Colégio das Artes, que era tratado por Principal.

Todo o seu pessoal: prelado, lentes, estudantes, familiares e serviçais, eram considerados pessoas da Universidade, para o efeito de gozarem os respetivos privilégios, foro e isenções.

Cada Colégio tinha os seus estatutos ou regulamentos privativos ou especiais, mas estavam sujeitos às numerosas prescrições dos «Estatutos da Universidade».

Vasconcelos, A. 1987. Escritos Vários Relativos à Universidade de Coimbra. Reedição preparada por Manuel Augusto Rodrigues. Volume I e II. Coimbra, Arquivo da Universidade de Coimbra, pg. 161-165, do Vol. I

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 22:14

Quinta-feira, 02.07.15

Coimbra, a Rua da Sofia e os seus Colégios 2

Colégio de S. Pedro
Em frente (ao Colégio de S. Tomás, hoje Palácio da Justiça) situava-se o antigo «Colégio de S. Pedro», fundado por D. Frei Rodrigo de Carvalho em 1540, para 12 clérigos pobres da diocese de Miranda do Douro que estudassem. O templo foi sagrado em 1548, mas os edifícios que se conservam já não são esses … o edifício foi entregue em 1584 aos frades calçados da Terceira Ordem Regular de S. Francisco, vulgarmente conhecidos por «Borras», devido à cor do hábito. A igreja atual foi começada pouco depois de 1621 e a zona residencial profundamente remodelada … Encontra-se hoje restaurada, mas nada mantém do antigo recheio, contendo alguns retábulos de talha de diversas épocas.

Colégio da Graça
… O Colégio de Nossa Senhora da Graça, fundado e dotado por D. João III em 1543. Pertencia à ordem dos Ermitas Calçados de Santo Agostinho, mais conhecidos por «gracianos». Após a extinção das ordens religiosas foi a igreja entregue à Irmandade do Senhor do Passos e a parte colegial ao Exército. A frontaria da zona habitacional do colégio é muito interessante, por manter ainda o conjunto alternado de janelas grandes e pequenas. A grande correspondia à sala de estudo e a pequena à alcova … Interessante é também o átrio da portaria de dois arcos e vão retangular intermédio, com alizar de azulejos do tipo «camélia». O claustro, da época da fundação, é exemplar curioso, por ter sido um dos primeiros ensaios das formas clássicas da Renascença.
A igreja ficou pronta em 1555. Tem uma sóbria fachada onde sobressai o portal de linhas clássicas … uma única nave abobadada e capelas nos flancos, que comunicam entre si. Nestas se encontram retábulos da época rococó, cobertos por dosséis a imitar tecidos. O retábulo-mor é um excelente exemplar maneirista, com armação arquitetónica de talha dourada a enquadrar seis painéis, alusivos à Vida da Virgem datados de 1644 e de autoria de Baltazar Gomes Figueira …
Um das principais curiosidades desta igreja é o conjunto de pedras tumulares e brasonadas que se encontram nas capelas laterais … A sacristia data do final do século XVII e contém um interessante retábulo de pedra.

Borges, N. C., 1987. Coimbra e Região. Lisboa, Editorial Presença. Pg. 80 e 81

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 15:34


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Abril 2019

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930