Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra


Terça-feira, 18.12.18

Coimbra: Bairro Operário

O problema do alojamento das classes mais carenciadas, maioritariamente residentes na Baixa, onde … se verificavam os maiores problemas de insalubridade, gerou várias tentativas de reforma urbanística, contudo sempre infrutíferas.

D. Manuel Correia de Bastos Pina 01.jpg

D. Manuel Correia de Bastos Pina

A construção de um bairro, especificamente destinado ao alojamento operário, começou a ser equacionada pelo município pouco depois da compra da Quinta de Santa Cruz. Em 1868 reservou-se alguns dos terrenos adquiridos para construção de um bairro operário, mas à semelhança de outros projetos também este foi sendo protelado.
Foi pela iniciativa do Bispo Conde, D. Manuel Corrêa de Bastos, que o desejo de um bairro para as classes mais carenciadas foi concretizado. Em 1897, quando se assinalavam os 25 anos do seu episcopado, o bispo recusou a oferta de uma valiosa cruz que lhe pretendiam oferecer e “pediu que ella fosse traduzida n’um pensamento mais levantado” e o seu valor aplicado na construção de um bairro para os operários mais carenciados.

Bairro operário. Localização a.jpg

Localização do Bairro Operário

Neste sentido, a 20 de Maio de 1897, solicitou ao município a cedência de um terreno na Quinta de Santa Cruz, entre o matadouro e o antigo caminho de Montarroio. Não estando a câmara legalmente habilitada para a cedência gratuita de terrenos cedeu a sua utilização por 19 anos.
O projeto, apresentado em Setembro desse mesmo ano, propunha a construção de um conjunto de 15 casas e uma capela. Agrupadas em duas bandas, uma de sete casas com frente para o antigo caminho de Montarroio e outra de seis casas com frente para atual rua Trindade Coelho. As casas de piso térreo ou com aproveitamento da cave onde o desnível do terreno permitia, possuíam um pequeno quintal para o cultivo de alimentos.


Bairro Operário tipo médio.jpg

s/a, Tipo médio das habitações do Bairro Operário, 1897

As obras começaram no mês seguinte e no dia de Natal de 1898 as primeiras casas começaram a ser ocupadas. Por iniciativa do Bispo Conde, o novo e moderno Bairro de Santa Cruz passou a albergar o primeiro bairro operário da cidade.

Bairro Operário planta térrea.jpg

s/a, Planta térrea das habitações do Bairro Operário,1987

No dia 12 de Novembro de 1911, ou seja, 5 anos antes do prazo previsto, o Bispo Conde entregou o Bairro ao município que a partir desta data assumiu a gestão do pequeno bairro. Contudo os edifícios apresentavam graves problemas de conservação e exigiam uma série de obras de conservação que “foram lentamente exgotando … os magros reditos provenientes das casas”.

Bairro Operário. Igreja.jpg

Capela e casas do Bairro Operário

Em Outubro de 1955, face ao mau estado de conservação dos edifícios, o bairro começou a ser demolido pelo município ficando o espaço abandonado até há poucos anos, quando foi transformado num pequeno jardim e parque infantil.

Calmeiro, M.I.B.R. 2014. Urbanismo antes dos Planos: Coimbra 1834-1924. Vol. I. Tese de doutoramento em Arquitetura, apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, pg. 353-356

 



Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 18:17

Terça-feira, 26.05.15

Coimbra e o primeiro bairro operário do País

Bastos Pina … era um admirador em extremo do Papa Leão XIII, procurando pôr em prática na sua diocese as diretrizes vindas do grande Pontífice … Foi assim que em Maio de 1897, pensou que a melhor forma de comemorar o vigésimo quinto aniversário da sua sagração episcopal seria a fundação de um bairro «em que os operários encontrassem, conforto para eles e para as suas famílias».
O cabido e o clero pretendiam oferecer, nessa data, uma cruz peitoral ao prelado. Este, sabendo dessas intenções, manifestou o desejo de que, em vez daquela oferta, lhe fosse entregue a soma angariada para, junta como uma outra que tinha sobrado de uma coleta para as vítimas das inundações de 1881, construir um bairro de 15 moradias para operários pobres. Contando, além disso, com a oferta do terreno por parte da câmara …
Com as colaborações recebidas e o entusiasmo que D. Manuel colocou neste empreendimento, o bairro estava pronto a habitar em Novembro de 1898 … a rainha D. Amélia, sabendo do facto, apressou-se a escrever ao bispo-conde … «muito gosto me dava, pois, o Bispo Conde aceitando o oferecimento que lhe faço de ficar a meu cargo a construção da capela» … A capela, sob a invocação de Nossa Senhora de Lurdes, foi solenemente inaugurada a 10 de Novembro de 1901.

Ramos, A. J., 1995. O Bispo de Coimbra D. Manuel Correia de Bastos Pina. Coimbra, Gráfica de Coimbra, pg. 183 e 184

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 09:03


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Junho 2019

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30