Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A' Cerca de Coimbra



Terça-feira, 05.11.19

Coimbra: Memórias de um salatina 1

Extrato de uma comunicação apresentada no ciclo de conferências comemorativo dos 900 anos de Almedina.

Diap. 19.jpg

Coimbra. Alta. 1930. Foto Varela Pècurto

A Alta era um bairro, se assim lhe chamarmos, maioritariamente pobre. Muitas das casas eram pequenas para tantos filhos e com muito pouca privacidade, não tinham eletricidade e utilizavam-se, habitualmente, bacios e latrinas.
Ali conviviam, basicamente, três grupos sociais.
O primeiro grupo era o dos donos das grandes casas de famílias de nome conhecido e posses mais ou menos alargadas que incluía alguns Professores da Universidade.

Diap. 22a.jpg

Casa da Família Costa Lobo

Diap. 23a.jpg

Casa do Professor Doutor Costa Pimpão

O segundo grupo eram os estudantes que tanto viviam em Republicas

Diap. 25.jpg

República dos Kagados

Como em casas que alugavam quartos e ainda em pensões.

Diap. 26 a.JPG

Casa da pensão da Aninhas, na Rua da Boavista

O terceiro grupo era os chamados salatinas. Uma mistura de empregados de escritório e de balcão, de funcionários públicos, de operários, de motoristas de táxi, de policias, vendeiras da praça e de artesãos das mais diversas profissões.
Ainda povoam a minha memória.
Quatro sapateiros. O Sardinha, na rua do Loureiro, era o sapateiro da Académica. Perto deste, na mesma rua, havia o sapateiro conhecido por Guilherme e na Rua de Sobre Ribas o Senhor Augusto.

Diap. 28a.jpg

Rua das Flores casa que foi do latoeiro

Latoeiros havia dois. O da rua das Flores que tinha um ramalhete de filhas para as quais os mais crescidos iam olhando. O outro era na ruas das Fangas.

Diap. 29a.jpg

Onde havia uma serralharia, há um bar … vá lá chama-se Bigorna

O Sr. São Bento – seria apelido ou alcunha? – era um serralheiro afamado, junto à Sé Velha, no início da Rua das Covas.

Rodrigues Costa (continua)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 13:22


9 comentários

De Anónimo a 12.11.2019 às 11:33

Muito bom Dia.

Tenho estado a ler com atenção estes belicíssimos trabalhos. Numa parte do texto transcrevo "Ainda povoam a minha memória.
Quatro sapateiros. O Sardinha, na rua do Loureiro, era o sapateiro da Académica. Perto deste, na mesma rua, havia o sapateiro conhecido por Guilherme e na Rua de Sobre Ribas o Senhor Augusto."
Não devia entrar por aqui o celebre mandador de fogueiras o Calmeirao que vivia nas Rua das Covas ( Rua Borges Carneiro)? Alem de mandador de fogueiras era um celebre Sapateiro.
Muito obrigada.
Antonio Luis

De Anónimo a 12.11.2019 às 14:21

Boa tarde
Obrigado pelas suas palavras.
Tem razão no seu comentário. Eu falei no Calmeirão e na sua casa. Quanto ao Calmeirão sapateiro publicarei, proximamente, um texto do Doutor Nelson Correia Borges, em que espero encontre uma surpresa sobre esta figura de Coimbra
Rodrigues Costa

De Anónimo a 13.11.2019 às 12:31

Muito Obrigado Doutor.
Vou ficar atento e mais uma vez curioso.
Gostava de o informar que eu sou Filho do Calmeirão Sapateiro e Mandador de Fogueiras. Chamava-se António Monteiro. Vivi na casa das Ruas das Covas ate aos 20 anos. Assisti à uns anos atrás um Grupo de Salatinas que descerrou uma lapide na casa onde ele e eu moramos.
Muito obrigado Doutor Rodrigo Costa.

De Anónimo a 13.11.2019 às 18:45

Caro Senhor
É bom saber que se é filho de uma Pessoa que Coimbra conheceu e admirou. Eu vi, uma vez, o seu Pai a mandar umas fogueira onde hoje está a estátua de D. Dinis. Valei-me a mim e ao meu irmão velho uma valente tareia pois fomos sem autorização. Outros tempos.
A surpresa de que falei é uma fotografia que eu não conhecia do Senhor seu Pai, trajado de lente de direito.
Obrigado pela sua palavras amigas, Rodrigues Costa

De Anónimo a 14.11.2019 às 15:48

Novamente boa tarde Doutor.

Pode-me mandar um email dos seus para poder enviar umas fotos do Calmeirao meu Pai. O meu é aluis1954@gmail.com. Muito Obrigada.

De Anónimo a 26.03.2020 às 15:28

Estou muito grato á pessoa que editou "Memórias de um Salatina",embora tenha nascido Chibata,fui criado como Salatina na rua do loureiro,tenho memóriasdo tempo da sede da Briosa ser na rua LARGA,do edificio do governo civil ser onde hoje está a Faculdade de medicina,aliás lembro-me do campo da feira,em frente á igreja da Sé Nova.Voltarei a este site procurando novidades,porque elas aparecem sempre.O Meu Muito OBRIGADO .Fernando Craveiro

De Anónimo a 26.03.2020 às 15:58

Concordo com o agradecimento que faz por inteiramente justo.

De Anónimo a 26.03.2020 às 15:38

Obrigado ao Senhor Rodrigues Costa
Só é pena não ter sido mencionados outros nomes bem conhecidos da alta como por exemplo;Sapateiro Galvão,Couraça dos Apostolos.Sapateiro Chocolate,Rua do Loureiro.Sapateiro Carriço,Rua das Flores.Obrigado

De Anónimo a 26.03.2020 às 16:00

Peço desculpa pelo meu anterior emai, pois pensei que era um livro que tinha acabado de sair.
O meu texto para a conferência baseou-se na minha memória e tinha consciência de ter muitas insuficiências. Mas foi o que de memória me foi possível.
Assim, agradeço as sueas achegas.
Obrigado

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930