Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A' Cerca de Coimbra



Terça-feira, 23.03.21

Coimbra: Evolução do Brasão do Concelho 2

Eu concordo que muitos autores, copiando-se, tenham repetido que a dama sai da taça, mas no selo que existe no célebre documento das Côrtes de Coimbra em que D. João é feito Rei de Portugal, é que nem por sombras a representação da taça tem tal atribuição e, além disso, antes deste selo, houve outro (como abaixo demonstrarei) em que a taça nem aparece.

Os dois mais antigos selos de Coimbra.jpg

Os dois mais antigos selos de Coimbra: à esquerda, o primitivo; à direita o que autentica o acto de aclamação de D. João I.

 A minha opinião é que, na desarrumação que fizeram depois de D. João I ao mesmo selo, procuraram arranjar melhor simetria, colocando a taça ao centro e, então, o busto que estava em chefe, passou a figurar sainte da taça, sendo isto um erro facílimo de suceder.

Quando um dia se encontrar um documento ou uma referência ao acrescentamento que fizeram às armas de Coimbra, então se verá qual foi a intenção do ordenador dessas armas e talvez se demonstre que nunca houve a intenção de meter o busto da mulher dentro da taça.

O que é possível é que houvesse a ideia de fazer desaparecer a taça, passando a representar-se o busto com o respetivo pedestal.

Enfim, é uma investigação que ainda não está terminada, sendo provável que só termine quando aparecer o tal documento ou referência que nos diga quando entrou o leão nas armas de Coimbra, portanto, quando lhe deram essa arrumação pondo a taça ao centro. Infelizmente, no Museu de Machado de Castro, só aparecem esculturas posteriores a D. João I; portanto, todas têm já o leão.

Também foi transformada outra peça das mesmas armas; a primitiva cobra, que aparece no selo que está no documento da aclamação do Rei D. João I, passou depois a ser uma serpe alada.

Nas esculturas do Museu de Machado de Castro, reproduzidas nos estudos referidos dos srs. António Gonçalves e Simões de Castro, só aparece a cobra em duas das esculturas; nas outras, já esta figuração é fantástica, com asas e cabeça de formas esquisitas, e até com braços e garras.

MNMC710; E589 a.jpg

© DGPC| Arquivo do MNMC. 710; E589

MNMC6345, E595 (em madeira) a.jpg

© DGPC| Arquivo do MNMC. 6345, E595 (em madeira)

Dornelas, A. Os Selos da Cidade de Coimbra. In: O Instituto, Vol. 88.º. 1935. Pg. 5-16. Acedido em https://digitalis-dsp.uc.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 19:02


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Março 2021

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031