Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra



Quarta-feira, 30.12.15

Coimbra e as suas personalidades: Camilo Pessanha

Fruto dos amores ilegítimos de um estudante de Direito (mais tarde Juiz) com uma tricana, Pessanha formou-se também em Direito, em 1891. Exerceu a advocacia, em Coimbra, mas em 1894, partiu para a ex-colónia portuguesa do Oriente, para desempenhar o cargo de professor do liceu. Provido, em 1900, no lugar de Conservador do Registo Predial, levou uma existência tormentosa, irregular, viciado na ópio.


… Apesar de ficar cativo pelo Oriente, jamais deixou de divulgar a sua terra, o seu país, as suas gentes, os costumes e a cultura ocidental … quase indiferente ao destino dos seus poemas, que escrevia em papéis soltos, que oferecia e se dispersavam, foi um grande colecionador de cerâmica oriental, que se encontra, atualmente, em Lisboa e no Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, instituição a quem a doou.


A obra poética resultou da reunião dos seus poemas pelo amigo João de Castro Osório, e que Pessanha intitulou de “Clepsidra” … que inculca o sentimento melancólico de que a vida corre do tempo, de que o próprio homem é constante passagem e se esvai no tempo.
Clepsidra é considerada a obra literária mais representativa do simbolismo português. Postumamente, foi editado um volume, “China”, que reúne ensaios sobre a civilização e literatura chinesa, incluindo uma tradução de oito elegias chinesas da autoria do poeta de Coimbra.

Nunes, M. 2005. Estátuas de Coimbra. Coimbra, GAAC – Grupo de Arqueologia e Arte do Centro. Pg. 63 e 64

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 10:10


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Dezembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031