Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A' Cerca de Coimbra



Terça-feira, 09.01.18

Coimbra: Portugal dos Pequenitos

A este espaço verde afluem, de todo o país e durante o ano, cerca de quatrocentos mil visitantes. Sendo um parque lúdico destinado à criança, atrai a si escolas e famílias, conferindo-lhe um sucesso que realiza em pleno a ideia fundadora do médico Bissaya Barreto. Reproduzir as arquiteturas de cada região, na sua forma popular, e as grandes obras de cada cidade a uma escala reduzida foi um conceito inovador e pode considerar-se o primeiro parque temático pensado para as crianças.

... O Portugal dos Pequenitos é constituído por uma rede de caminhos e pracetas, ladeados por réplicas em miniatura da arquitetura nacional, onde as crianças entram e brincam. Só um elemento destoa neste conjunto formado pelas crianças e pelas casinhas – as árvores cresceram ao seu porte final e são gigantes verdes neste universo liliputiano.

Portugal dos Pequenitos.jpg

 Portugal dos Pequenitos

 

O projeto de Cassiano Branco teve a sua primeira fase de construção entre 1938-1940, reproduzindo com rigor notável a arquitetura popular.

Numa segunda fase foram construídos os monumentos mais emblemáticos do país (a Torre dos Clérigos, a janela do Convento de Cristo em Tomar, o Arco da Rua Augusta ou a Universidade de Coimbra) e as imagens daí resultantes criam alguma confusão geográfica, como se o país se tivesse concentrado e encolhido, pois o Arco da Rua Augusta está a eixo com o Castelo de Guimarães.

A terceira fase, correspondendo ao final dos anos de 1950, apresenta a arquitetura tradicional das regiões que correspondem às antigas colónias: Macau, Timor, Angola, Moçambique e as atuais regiões autónomas da Madeira e Açores, revelando uma vontade política de afirmação e propaganda dos valores nacionais defendidos pelo Estado Novo.

Neste ambiente de miniaturas, em que nos adultos parecem estar a mais, foram ainda criados museus a uma escala de casa de bonecas: o Museu do traje, o da Marinha e do Mobiliário. Mas o ponto importante deste parque, mantido com um excelente nível, é a afluência que traz a Coimbra, confirmando uma importante obra do século XX.

 

Castel-Branco. C. Os jardins de Coimbra. Um colar verde dentro da cidade. In: Monumentos. Revista Semestral de Edifícios e Monumentos. N.º 25, Setembro de 2006. Lisboa, Direção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, pg. 180-181

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Rodrigues Costa às 19:30



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Janeiro 2018

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031